Teoria da conspiração

O Fabiano, co-autor do blog do Nemerson Lavoura, veio na caixa de comentários desse post colocar links para “provar” que o PT tem ligações com o PCC (sic).

Eu respondi de forma monossilábica, pois acho uma perda de tempo refutar teorias conspiratórias. Tendo em vista, porém, que eu já estava debatendo com ele no Orkut (comunidade Belém) sem saber que era ele, achei que seria uma boa idéia colocar aqui uma explicação sobre as maluquices que a direita escreve a respeito das relações “perigosas” do PT.

Já fui filiado ao partido de 1987 a 1990, mas minha intenção não é defendê-lo, apenas mostrar que a direita não tem seriedade na discussão e fala sobre o que não conhece. O texto ficou longo, mas assim eu explico as coisas direitinho e não terei mais que voltar ao assunto.

* * * * * * * *

Não há como negar que a presença de Olavo de Carvalho na grande imprensa, há um tempo atrás, foi um fator que fez a direita sair do armário. Quase ninguém, na política tradicional, se assume como direita, mas tem uma nova geração que, influenciada pelo Olavo, está desfilando em blogs e comunidades do Orkut seu reacionarismo sem disfarces.

O problema é que Olavo passou do ponto e começou a viajar na maionese. Inventou um movimento comunista internacional que abrange a ONU, o Partido Democrata norte-americano, a social-democracia européia e o terrorismo islâmico. Afirmou que Bill Clinton era agente de Pequim. Questionou a idéia de que é impossível a um bebê anencéfalo sobreviver. Utilizou-se de argumentos criacionistas para atacar o darwinismo. Pretendeu-se a “refundar a filosofia do ponto em que Kant a pegou”. Esses são os exemplos mais esdrúxulos, tem muitos outros.

Perdeu com isso toda a respeitabilidade e foi defenestrado dos órgãos de imprensa onde escrevia: O Globo, Folha de S. Paulo, Época e Bravo. Hoje só publica em veículos do segundo escalão, como Jornal do Brasil, Zero Hora e Jornal do Comércio.

A mais difundida de suas patranhas é o Foro de São Paulo, uma mesa de debates de partidos de esquerda da América Latina que ele descreve como um bem organizado e secretíssimo partido comunista internacional. Do Foro participa desde a social-democracia até a esquerda revolucionária, incluindo as FARC, guerrilha colombiana que hoje se sustenta através do narcotráfico.

Quem conhece a esquerda sabe como são esses fóruns de debate. Um monte de blá-blá-blá sem efeitos práticos, e cujas “resoluções” não passam de linhas gerais, ou moções de apoio ou contra alguma coisa. Existe até uma piada interna da esquerda: quando quer se esquecer do assunto, forma-se uma comissão para estudá-lo.

Alguém realmente acredita que Hugo Chávez, o PT e o Partido Socialista chileno (três integrantes do Foro) têm algum tipo de unidade de ação? O próprio governo dos Estados Unidos percebe as diferenças. E como se sabe, “a esquerda não se une nem na cadeia”.

As FARC são apenas um entre dezenas de integrantes, mas a direita fala apenas nelas, pois é mais fácil demonizar o PT dizendo que ele tem como parceiro de debates uma entidade sócia de narcotraficantes.

Até o momento, não se demonstrou qualquer relação especial entre o PT e as FARC. A denúncia da Veja sobre o dinheiro que estas teriam dado à campanha de Lula é uma piada. Fala apenas de um padre ligado às FARC que teria dito numa festa que eles iam dar dinheiro ao PT. E isso baseada em documentos falsos da Abin, que não foram autenticados por ninguém, nem por fontes anônimas. Note-se que, nessa época, a Abin estava sob o comando do presidente Fernando Henrique Cardoso.

A direita brande como “prova” de que o Foro é algo mais, o fato dos documentos oficiais terem sumido do site da entidade. Até fizeram uma seção no Mídia sem Máscara para divulgar os documentos “perdidos”. Vão lá e leiam. Não tem nada que se assemelhe a um plano unificado de dominação do continente. O que parece evidente é que o PT, que nos últimos anos abrandou (e muito) o seu discurso radical, quer agora manter distância das FARC.

Uma teoria conspiratória funciona nessa base: “eu não tenho nada que prove o que eu digo, mas bem que poderia ser”. É a mesma coisa que estão fazendo agora, ao dizer que o MST tem relações com o PCC (!).

O que há de concreto sobre isso? Uma escuta telefônica onde um integrante do PCC diz que recebeu conselhos de um militante do MST sobre como organizar uma passeata de mulheres e parentes de presos. Mesmo que seja verdade, não há nada de ilegal nisso, e muito menos uma ligação entre as duas entidades. O que temos é simplesmente uma colaboração individual para organizar uma passeata, que aliás é algo de que o MST entende mesmo.

Entenderam o raciocínio binário? PT => FARC => PCC, ou PT => MST => PCC. A partir de pontos sem relação entre si, monta-se uma conspiração.

Depois reclamam quando eu digo que não perco tempo refutando essas asneiras. Acabei de perder uma hora e meia com isso. Mas, como se sabe, pra cada linha de argumentos idiotas são preciso várias para mostrar quão idiotas eles são.

Anúncios

Sobre Marcus Pessoa

Alguém em busca de mais vida offline.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s