Comentário fake

Num dos posts recentes sobre política, recebi um comentário de uma moça que escrevia “vc” em lugar de “você” e aparentemente não sabia pontuar. Eu ia deixar o comentário lá e fazer uma pequena resposta, até que cliquei para ver o blog dela.

Ele era supostamente escrito por um casal de petistas fanáticos, daqueles que acham que tudo que se fala contra Lula é conspiração das elites ou coisa que o valha. Até aí tudo bem, analfabetismo funcional não distingue coloração ideológica mesmo.

Mas o blog ultrapassava todos os limites da caricatura. O casal de articulistas tinha o que se chama de “nome de pobre”, e no primeiro post a moça dizia que começou a escrever o blog a pedido de um amigo, agora que estava freqüentando “a lan house que ele fez no puxadinho”.

Aí caiu a ficha e eu me lembrei de um conhecido blogueiro reaça, com alguns livros publicados, que já confessou uma vez ter feito um blog fingindo ser um petista idiota. Parece que alguém gostou da idéia e o imitou.

O que leva alguém a perder tanto tempo com uma bobagem dessas, é algo difícil de entender. Talvez tenha tempo em excesso mesmo. Talvez seja a forma de expor seus preconceitos usando da garantia do anonimato. “Mamãe, olha como eu sei fazer piada de pobre”.

Apaguei o comentário e disse à autora que nunca mais aparecesse aqui. Um pouco depois, o seu colega (que deve ser a mesma pessoa) veio me dizer que não devíamos brigar, que “a esquerda não devia se dividir”, afinal “os nossos inimigos são os mesmos e são fortes”.

Apaguei de novo, é claro. O problema do esperto é achar que todo mundo é otário.

Anúncios

Sobre Marcus Pessoa

Alguém em busca de mais vida offline.
Esse post foi publicado em Blog. Bookmark o link permanente.

40 respostas para Comentário fake

  1. Pedrox disse:

    Piadas de pobre só eram engraçadas quando contadas por Caco Antibes. Deu até curiosidade de conhecer esse blog que tu citaste.

  2. Vives disse:

    Pois é, meu caro, as pessoas têm certa aversão ao Bokowski. Mas eu li e achei gostei muito. É diferente de tudo.
    Quanto ao artigo sobre a Wikipedia, não imaginava que a situação era tão ruim assim. Vou repassar aquele artigo para muitos.
    E me permita lincá-lo em SorryPeriferia, porque gostei deste espaço.
    Abraço,

  3. Marcus Pessoa disse:

    Pedro: não posso linkar, infelizmente.

    Vives: muito obrigado. O seu blog é um dos meus preferidos, só não acompanho com mais atenção por causa da ausência de feeds no Blogger Brasil.

  4. Márcia W. disse:

    Marcus,
    totalmente off-topic, para você apagar se quiser. Mas li a notícia abaixo e achei que ia interessar.
    abs

    Refund for Microsoft software? Linux joy

  5. Luana disse:

    Cara, o que vc tem contra pobre?

  6. Ana disse:

    nossa, como você é preconceituoso: “nome de pobre”…
    Acredito que assim como Roberto Campos, o Lanterna na Popa, você se acha O homem do Farol.

  7. Marcus Pessoa disse:

    Hehehe. Vamos interpretar texto, moçada. Quem fez piada com a pobreza dos outros foi o meu visitante, não eu.

  8. felipe tanaka disse:

    rsrsrsrsrrsrsrsrsrrsrs, marcus , q chama em meu querido !
    eu não teria paciência

  9. darcio disse:

    Oi, Marcus,
    Se for dessa esquerda aí então (esquerda???), acham que todo mundo é otário e ainda precisa aprovar as demências de Lulla.
    Abraço!

  10. Marcus Pessoa disse:

    Não há nada de errado em apoiar o presidente Lula. 60% dos brasileiros o fazem.

    O problema é o sectarismo, a idéia de que criticá-lo sempre é golpismo, conspiração, etc. E o fake imitava esse estilo, achando que eu sou um desses.

  11. Andrea N. disse:

    Putz, esse povo tem eh tempo sobrando mesmo. Queria eu ter tanto tempo assim. Poderia vir mais aqui, por exemplo. Beijo.

  12. Ollie McGee disse:

    E você nem colocou o link para a gente visitar o tal blog? Aaaahhhh….
    Fiquei curiosa, pô! :)

  13. Catatau disse:

    Putz, pior que comentar sobre comentarios ruins é receber novos comentários ruins, que insistem em anular tudo o que se tentou dizer de bom. O pessoal precisa aprender a ler mesmo!

    fica o minifesto catatauesco (e também o alívio de que esse pessoal não passa muito por lá)

    abração,

  14. well disse:

    Conheci seu blogue atraves do Blog do Puto daqui de Portugal e ja fiquei adepto. Directo para os favoritos. Um grande abraço!

    P.S. SÓ uma coisa, this is England ja estreou no Brasil?

  15. Marcus Pessoa disse:

    Não, This Is England não estreou no Brasil e nem tem previsão.

  16. Pedrox disse:

    Não é intenção do texto ser politicamente correto, pelo contrário. Certamente o próximo não te agradará também, pois será muito mais sexista e homofóbico. Respeito que não aches engraçado, mas duvido que discordes em tudo da teoria.

  17. Pedrox disse:

    A propósito, este é o endereço dos feeds do meu blog: http://blogdopedrox.wordpress.com/feed/

  18. Ângela Fatorelli disse:

    Olá, Marcus. O que seria “nome de pobre”?

  19. Chinfrin disse:

    Quando iremos discutir sobre esta organização chamada Foro de Sao Paulo?

  20. Porra, o cara muda de casa e depois abandona o novo lar? É pra acumular comentários, é? heheheheh

    abs

  21. Ollie McGee disse:

    Qualé, Marcus? Tirou férias e não avisou?
    Saia um pouco do Orkut e blogue um pouco, menino.
    Estamos com saudades. :)

  22. Marcus Pessoa disse:

    Vou tentar atualizar, Ollie. Obrigado pela lembrança.

  23. Chinfrin disse:

    E aí, não vai mais atualizar a bagaça?

  24. Tom Jones disse:

    Esse tipo de atitude é a mesma tomada por nosso presidente, sempre colocando suas origens humildes à frente de qualquer discurso pra engabelar a maioria humilde que o assiste. E é a mesma atitude tomada nas propagandas político-partidárias nas famigeradas eleições, sempre quem dá entrevista sobre a índole do candidato ou do partido é um “pobrezinho”, um ator (fake) que tem a “cara do povo” com uma legenda embaixo indicando seu nome de pobre.

    Chega de hipocrisia!

  25. Marcus Pessoa disse:

    A diferença é que o comentarista que veio aqui estava fingindo. Já o Lula não precisa fingir que é do povo. Ele é.

  26. Tom Jones disse:

    A questão vai além do ser ou não ser, é explorar demagogicamente a imagem e a inteligência de um povo já tão sofrido com falsas promessas de quem se diz lutar por eles. Seja Lula, que veio de origem humilde, sejam outros que nunca sentiram a presença da fome em suas famílias, ninguém deve usar o pobre nos seus discursos demagógicos para se promover.

  27. Marcus Pessoa disse:

    Realmente, o melhor é esquecer do pobre mesmo.

  28. Chinfrin disse:

    O serviço público no Brasil é uma calamidade. Quem nunca ficou aterrorizado com a inoperância e a ineficiência do serviço (vá na sede do INSS da sua cidade para ver, ou então na secretaria da educação…), tem que torçer para esse Estado falir mesmo. E o Lula endossa isso, afinal uns carguinhos não fazem mal para ninguém, seja para o PT, para o PSDB, DEM, PMDB, ou mesmo para os nanicos.

    O país está virado nisso aí. Essa coisa que surgiu recentemente, que os cientistas políticos chamam de “democracia de coalisão”, irá levar o país para o buraco. Tudo que é governo, municipal, estadual ou federal, está sempre sendo feito com rifa de cargos. Não valoriza-se mais situação/oposição, os negos só querem saber de cargo, finalidade única do Estado para esse povo: o velho cabide mais forte do que nunca.

    Então esse Lula, por mais credenciais morais que tenha, está aprofundando essa porcaria. E os seus sucessores também o farão, como seus anteriores começaram.

  29. Marcus Pessoa disse:

    Eu não entendo essa obsessão em meter Lula e partidos políticos em tudo quanto é comentário…

    Parece até que o mundo gira em torno de política partidária.

  30. Chinfrin disse:

    Ela que definirá o que será do país daqui a 100 anos. Contudo, para que nos preocuparmos, não? Afinal estaremos todos mortos mesmo.

  31. Marcus Pessoa disse:

    Isso é que é obsessão.

  32. Chinfrin disse:

    Sim! Melhor do que não entender o que lê, como grande parte da população.

  33. Marcus Pessoa disse:

    Adoro pessoas instruídas, inteligentes, obsessivas e paranóicas.

  34. Chinfrin disse:

    Qualquer hora vamos tomar um cafezinho! Eu deixo você pagar.

  35. Alguns dos seus comentaristas parecem não ter lido seu texto, não é mesmo.
    Coisas estranhas acontecem na blogosfera.

  36. Ângela Fatorelli disse:

    Continuo querendo saber o que é “nome de pobre”.
    E nossa, que pessoas interessantes aparecem por aqui.

  37. palpi disse:

    Marcus, não liga pra essa bobagem de política, não.
    Sinto falta dos seus escritos.
    Feliz 2008 pra vc.
    Beijo

  38. Lafaiete disse:

    Prezado Senhor Marcus,
    gostei muito da lista de salas de cinemas, e histórias
    respectivas, relacionas da págiana da internet http://marcuspessoa.net/cinemapara/salas2.html, trouxeram-me muitas saudades da minha amada terra.
    Mas, lembro-me de ter visto alguns filmes num cinema (Cine Guajará?) que havia ali na base naval. Havia tb um cinema na base aérea, nesse vi “Esses homens maravilhosos e suas máquinas voadoras”, além de alguns outros. Deste outro, o da base aérea não me atrevo a tentar lembrar o nome, poderias ajudar-me.

    abraços

  39. Renmero disse:

    Escreve alguma coisa aí rapaz!

  40. Ângela Fatorelli disse:

    Continuo querendo saber.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s